Cruzeiro cobra segurança a Conmebol em relação a seu jogo na Venezuela

Mesmo ainda não tendo jogado a partida do Mineirão diante do Deportivo Lara, da Venezuela, o clube mineiro envia a Conmebol um ofício pedindo seguranças a sua delegação no jogo da volta no país vizinho, em abril.

Por Minha Torcida
Compartilhe

Tendo seu jogo pela Libertadores da América remarcado para o dia 27 deste mês, por impossibilidade do time venezuelano – Deportivo de Lara, em não conseguir vir para o Brasil disputar a partida válida pela segunda rodada da fase de grupos, a direção cruzeirense que viu sua equipe jogar apenas uma partida pelo torneio, comunicou nesta última quinta-feira que enviou um ofício a Conmebol solicitando garantias de que a sua delegação terá segurança no país vizinho para jogar contra a equipe local.

Ainda neste mesmo ofício, o supervisor da Raposa declarou que o clube mineiro teve percas com a remarcação da partida que deveria ter sido jogada na última quarta-feira e foi adiada pela entidade devido à crise política e econômica enfrentada pelos venezuelanos.

Benecy Queiroz - supervisor do Cruzeiro.Benecy Queiroz - supervisor do Cruzeiro.

No documento enviado a entidade máxima do futebol na América do Sul, a direção do Cruzeiro destaca principalmente o assunto segurança, onde Benecy Queiroz – supervisor administrativo do clube brasileiro em entrevista ao site “globoesporte.com” deu detalhes sobre o assunto.

“Há cerca de 45 dias, com orientação do nosso vice-presidente de futebol – Itair Machado, fizemos um ofício a Conmebol, demonstrando a nossa preocupação e solicitamos a eles a nossa garantia a essa viagem a Venezuela. O sistema que apresentava naquela época já era precário, e solicitamos a ela que, se houvesse a continuidade do estado, que ela estudasse a possibilidade de fazer uma mudança do local”, declarou o supervisor.

Benecy ainda revela que neste mesmo documento, o Cruzeiro não sugere um local para a realização do jogo. A sugestão é apenas de que seja em um país mais próximo a Venezuela.

“Nós não podemos escolher o local. Na minha opinião, se atenderem a essa demanda, deve ser em um país mais próximo. Isso é minha opinião, claro. Mas isso é competência da Conmebol. Apenas pedimos garantias e solicitamos a possibilidade se continuasse o estado de calamidade que lá está”.

Mesmo de olho já no segundo confronto diante do Deportivo Lara, a direção do Cruzeiro enviou mais uma vez outro ofício a Conmebol com o mesmo conteúdo, onde o clube brasileiro ainda tenta resolver o impasse no duelo a ser disputado contra a equipe venezuelana no Mineirão. Inicialmente marcada para a última quarta-feira (13/03) e remarcada para quinta-feira (14/03), sendo posteriormente remarcada para 27 de março em virtude do clube do país vizinho não ter conseguido chegar a Minas Gerais.

A Raposa alega que mesmo com o jogo adiado, teve alguns custos que são de responsabilidade do mandante, como o pagamento direcionado ao delegado da partida. O supervisor do Cruzeiro afirmou nesta mesma entrevista que a direção do clube irá se reunir nesta quinta-feira para resolverem sobre esses prejuízos.

“O Itair irá resolver isso hoje. Na verdade ter alguns prejuízos, que são objetos de uma reunião do Itair para saber qual a atitude que o clube irá tomar em relação a esse incidente. Ele vai estudar com o departamento jurídico para nos orientar quais são as providências a serem tomadas”, finalizou.

 

Torcedor: compartilhe
Siga nas redes
Comentários
Carregar comentários
Assista ao nosso último vídeo:
Inscreva-se no canal