Conforme já escrevemos nesta última quarta-feira, o Cruzeiro está a fim de repor logo a perca de Arrascaeta - vendido para o Flamengo e o nome preferido pela direção celeste é o de Rodriguinho, mas a mesma depende da liberação do Corinthians.

Já acertado com o jogador, a "Raposa" agora aguarda a liberação do "Timão" para confirmar a chegada de Rodriguinho, que está atualmente defendendo as cores do Pyramids - do Egíto. Mesmo não pertencendo mais ao clube paulista, existe no contrato de venda do jogador ao clube egípcio uma cláusula que impede a negociação com qualquer clube do Brasil - exceto ele próprio, onde o "Timão" terá que dar o aval para que o time do exterior avance em um venda do atleta para o Brasil.

Em seu novo clube desde julho de 2018, Rodriguinho não conseguiu repetir as mesmas apresentações dos tempos de Corinthians e com isso não foi inscrito no campeonato nacional. Sem ter sido inscrito para o Campeonato Egípcio, Rodriguinho encontra-se em Natal, no Brasil com sua família e dela negocia sua volta ao país, juntamente com seu empresário.

Mesmo acertado com o Cruzeiro - como já declaramos o clube mineiro agora parte para a fase mais complicada da negociação, conversar com a direção do Pyramids e ainda tentar a liberação do Corinthians, que precisa ser notificado e se posicionar a respeito da eventual transação.

Com um contato oficial, o Corinthians terá que em até 72 horas decidir se iguala a proposta do clube brasileiro interessado ou liberar o atleta para que esse possa definir seu futuro. Sem condições financeiras para repatriá-lo, dificilmente o clube paulista irá apresentar qualquer resistência a uma mudança do jogador para Minas Gerais.

O Cruzeiro não foi o único clube nacional interessado no meio-campista, Flamengo e São Paulo também já demonstraram interesse em contar com o futebol de Rodriguinho, mas devido a tal "cláusula" desistiram do negócio.