Dias nebulosos no Corinthians! Não, não é mau-tempo, mas sim a situação "política" que está pegando no Parque São Jorge.

De acordo com as últimas informações vindas da capital paulista, um grupo opositor no "Timão" denominado de "Frente Liberdade Corinthiana" teria entrado na manhã desta segunda-feira com uma ação na justiça pedindo o afastamento imediato de Andrés Sanchez da presidência do Corinthians.

Segundo esse grupo, houve desrespeito ao estatuto do clube e gestão temerária de Andrés Sanchez. Tal processo irá correr na 4ª Vara Cível do Tatuapé e o mesmo é assinado por 19 pessoas - sendo desses, 13 conselheiros do clube.

Andrés Sanches - presidente do Corinthians - imagem: arquivo
Andrés Sanches - presidente do Corinthians - imagem: arquivo

Para embasar o pedido, o grupo em questão ainda salienta que em 2019 o clube contraiu R$ 70 milhões em empréstimo junto a dois bancos sem solicitar qualquer tipo de aprovação interna - o que para eles é ilegal.

Se a justiça concluir que a ação é cabível de averiguação e Andrés afastado do cargo de presidente do Corinthians, o cargo passará a ser ocupado por Edna Murad Hadlik - primeira vice do clube.

Declarado presidente do Corinthians em 2018 após a eleição presidencial, Andrés Sanchez tem mandato válido até o final de 2020, ou seja, até o fim deste ano - lembrando que ele não poderá concorrer na próxima eleição, visto que já se reelegeu para o cargo. A eleição para a escolha do novo presidente corintiano será em novembro e o mandato será de dois anos.