Mesmo com três meses de salários atrasados, Corinthians vai ao mercado; entenda como

O futebol brasileiro reserva fórmulas de administração muito peculiares, e algumas vezes, até mesmo inexplicável. Prova disso é que, mesmo com o mundo do futebol em regime de readequação financeira, vendendo jogadores e até mesmo demitindo funcionários, o mercado da bola segue agitado, e deve movimentar muito dinheiro nos próximos meses.

O maior expoente desta “fórmula” administrativa é o \.

Jô e Marcinho: Negócios de “ocasião”

Entretanto, a resposta para estas perguntas está nos contratos destes atletas. Tanto Jô, como Marcinho, poderão se transferir gratuitamente nos próximos meses, isso porque no caso do primeiro, negocia sua rescisão de contrato no futebol japonês, o que está bem encaminhado. Já no caso de Marcinho, tem contrato vigente com o Botafogo até dezembro de 2020, e já pode assinar um pré-contrato com qualquer equipe. Mesmo assim, a tendência é de que o time paulista negocie com os cariocas para contar com o jogador imediatamente.

Além dos contratos, o Corinthians conta com outro fator importante para auxiliar nas negociações: Aporte externo. O banco BMG, patrocinador máster do clube, já foi fundamental para a contratação dos dois principais reforços nesta temporada: Cantillo e Luan. Entretanto, algumas especulações dão conta que o banco deve auxiliar no pagamento dos vencimentos de novos reforços, como Jô, por exemplo.

Atacante de lado segue no radar; e vem da China

Outra posição que o Corinthians entende como importante para ir ao mercado nos próximos meses, é a de externo, ou seja, os atacantes de lado do campo. Caso venha, este deve ser do futebol chinês, e dois nomes estão no radar do Timão: Alex Teixeira e Róger Guedes.

Ambos \, por conta da pandemia do novo Coronavírus. Com isso, o Corinthians avalia a situação de ambos, que não permitem fácil negociação.

No caso de Róger Guedes, a situação é bastante complicada. Seu contrato prevê pagamento de multa ao Palmeiras em caso de qualquer negociação com outro time brasileiro, no valor de milhões de euros (R$17 milhões na cotação atual), algo que está fora dos padrões corintianos.

Róger Guedes é sonho corintiano, mas altas cifras impedem negociação. (Foto:Getty Images)

No caso de Alex Teixeira, o fator financeiro é mais viável, mas a concorrência pelo jogador com o Vasco pode atrapalhar, tendo em vista que o meia-atacante nunca escondeu seu desejo de retornar ao cruz-maltino. Entretanto, nada oficial foi feito pela diretoria do Corinthians, pois as definições por Jô e Marcinho são prioridades no momento.

Alex Teixeira interessa, mas deve ir ao Vasco da Gama. (Foto:Divulgação)

Apaixonado por futebol e jornalismo. Redator do site Minha Torcida e do site Poupar Dinheiro