Depois do Cruzeiro, o Corinthians pode ser o próximo clube brasileiro a ser penalizado pela FIFA por dívida junto à entidade máxima do futebol mundial. O "Timão" tem até o final deste mês para quitar uma conta que já está na FIFA e que poderá render ao clube brasileiro uma punição se esse prazo não for cumprido.

A dívida aqui em questão trata-se de uma parcela não paga da compra de Bruno Méndez junto ao Montevideo Wanderers - do Uruguai. O valor desta conta que deveria ter sido paga no dia 30 de junho de 2019, é de US$ 1 milhão - algo próximo a R$ 5,37 milhões na atual cotação.

O defensor foi adquirido pelo clube brasileiro em questão no último ano pelo valor total de US$ 3,5 milhões - com pagamento parcelado em quatro vezes, no entanto, o Corinthians até agora só pagou a primeira parcela, assim sendo, duas já venceram (30 de junho de 2019 e 31 de dezembro de 2019 - ambas no valor de US$ 1 milhão).

Bruno Mendéz - zagueiro corintiano adquirido junto ao Mondevideo Wanderers - imagem: arquivo
Bruno Mendéz - zagueiro corintiano adquirido junto ao Mondevideo Wanderers - imagem: arquivo

Lembrando sempre que o não cumprimento dos compromissos fez com que o clube uruguaio acionasse o Corinthians junto a FIFA no início deste ano e agora essa conta está nas mãos da entidade máxima do futebol, que está cobrando o clube brasileiro. Sendo que dessas duas, até agora apenas uma chegou ao estágio mais alto do processo - a parcela referente ao mês de junho de 2019, com isso, mais uma ainda deverá ser cobrada.

De acordo com a FIFA, o Corinthians tem até o próximo dia 30 de junho para quitar o valor de US$ 1 milhão - referente à segunda parcela da negociação envolvendo o zagueiro aqui citado nesta matéria. Se o "Timão" não quitar tal dívida, poderá daí sim, sofrer sanções semelhantes a que ocorreu com o Cruzeiro na Série B - do Brasileirão deste ano, com a perca de seis pontos na tabela de classificação.

Segundo as últimas informações do "Meu Timão", a direção do Corinthians promete quitar essa e outras dívidas mais urgentes ainda neste mês - o valor aqui utilizado será retirado da venda de Pedrinho, adiantado com um banco da Europa.