Após se destacar pelo Goiás, no Campeonato Brasileiro deste ano, Michael se tornou no centro das atenções do "Mercado da Bola". Revelação de 2019 na principal competição do país, o atacante do Goiás despertou interesse de gigantes, como Corinthians, Flamengo e Palmeiras.

Desde então, o Goiás tem adotado uma postura firme e defensiva, com declarações fortes de seu presidente Marcelo Almeida. O mandatário alviverde chegou a dizer que o clube pretende manter Michael em 2020 e avisou que não vai liberar o atleta por menos de R$ 50 milhões.

Com tal declaração do presidente do clube, o grande problema para o Goiás agora é sustentar essa posição. De acordo com as últimas informações do site "Gazeta Esportiva", o clube esmeraldino passou a sofrer pressão de todos os lados para ceder e reconsiderar a sua posição.

Com a ajuda do empresário de Michael, os dirigentes de Corinthians, Flamengo e Palmeiras têm esperança de que a situação mude de panorama. Mesmo pregando total respeito ao Goiás, o atacante já não esconde a ansiedade para concretizar uma transferência.

Assim como fez no caso Cantillo, o presidente Andrés Sanchez está disposto a viajar até Goiânia para se encontrar pessoalmente com os dirigentes do Goiás. O Corinthians foi o único até o momento a colocar uma proposta na mesa: 5 milhões de euros - algo próximo a R$ 22 milhões, mais três jogadores do atual elenco alvinegro.

Flamengo e Palmeiras também iniciaram conversas, mas ainda não se manifestaram de maneira concreta, ou seja, oficial. Ambos se espantaram justamente com as exigências feitas para que o avanço nas negociações fosse possível.

Apesar do monitoramento e do interesse público dos rivais, a direção corintiana está confiante de que poderá vencer a concorrência. O clube passou a dar prioridade ao negócio. Com ajustes na primeira oferta e o auxílio do staff do atleta, o Corinthians espera convencer o Goiás chegar a um acordo.

Os dirigentes do Parque São Jorge acreditam que dificilmente algum clube aceitará as exigências esmeraldinas. Também é unânime a ideia de que Michael ainda precisa provar seu valor em uma equipe de maior expressão nacional. Por isso, pagar R$ 50 milhões é algo fora de cogitação - pelo menos para Flamengo e Palmeiras.

Outro ponto favorável ao Corinthians é o espaço que Michael teria no time. O jogador de 23 anos chegaria para ser titular de Tiago Nunes. Diferente do que aconteceria em uma eventual transferência para Flamengo ou Palmeiras, onde a disputa por uma vaga no time seria mais complicada.

Há alguns dias, Michael esteve na Arena Corinthians, conversou pessoalmente com Duílio Monteiro Alves - diretor de futebol corintiano jogou e teve o nome gritado pelos torcedores. O jogador, inclusive, admitiu encantamento com a torcida "Fiel" quando teve a oportunidade de jogar contra o Corinthians neste ano.

Apesar de acreditar que pode trazer Michael, o Corinthians é muito cauteloso nos bastidores devido à dificuldade do negócio. No clube, ninguém espera que a conclusão das tratativas aconteça ainda em 2019.