Acordo selado! Pelo menos é o que garantem as partes. Estamos aqui nos referindo ao acordo entre a Caixa Econômica Federal e o Corinthians, que teriam teria chegado a um acordo com relação às condições do financiamento da Neo Química Arena; negociação essa que já se arrasta por mais de um ano.

Ainda segundo as últimas informações a respeito deste assunto, o novo acordo entre a estatal e o clube aqui em destaque deverão ser selados nas próximas semanas.

Acordo entre Caixa e Corinthians

A Caixa Econômica Federal concordou em aumentar o prazo para o pagamento da construção do novo estádio do Corinthians, levando esse até 2040, quando a Hypera Pharma pagará a última parcela dos naming rights. O acordo inicial era de que o "Timão" teria que quitar essa dívida até 2028; desta forma o clube ganhou 12 anos a mais para quitar o financiamento.

Além desses 12 anos, o clube paulista aqui em destaque ainda ganhou dois anos de carência, iniciando esse pagamento somente em 2022. Neste novo acordo ficou firmado que os pagamentos serão efetuados em 17 prestações, uma por ano, e não mais mensalmente, como era no antigo acordo.

O total da dívida hoje do Corinthians com a Caixa é de R$ 569 milhões - sendo que destes, R$ 300 milhões serão abatidos com a receita da parceria entre o clube e a detentora dos direitos dos "naming rights da arena"; assim, restarão R$ 269 milhões a serem pagos pelo "Timão" até 2039.

Vale aqui ressaltar que essas parcelas serão reajustadas anualmente em 3,4% e corrigidas pela taxa de juros de longo prazo - TJLP, que é de 4,55% ao ano.

Com esse novo acordo firmado, a tendência é de que o "Timão" também possa em breve anunciar a quitação da dívida com a Odebrecht e assim essa sairia da sociedade do fundo que controla o estádio, sobrando dinheiro ao clube. No momento o Corinthians aguarda a conclusão do processo de recuperação judicial da construtora.