Jornal: Rússia planejava esquema de doping na Copa do Mundo

Vale lembrar que a Rússia foi excluída justamente por essa “situação” dos jogos Olímpicos de Inverno deste ano, que irão ser realizado entre os dia 09 e 25 de fevereiro, na Coreia do Sul.

Por
Compartilhe

Polêmica envolvendo doping agora nos jogos da Copa do Mundo, na Rússia, vem à tona. Pessoas ligadas ao médico que denunciou o escândalo da operação nos jogos “Olímpicos de Inverno de Sochi, em 2014, informaram ao jornal “Daily Mail” que os jogadores da seleção russa poderiam estar envolvidos em um esquema de doping e que isso estaria programado para acontecer novamente no Mundial.

A Rússia foi excluída dos jogos Olímpicos de Inverno na Coreia do Sul.A Rússia foi excluída dos jogos Olímpicos de Inverno na Coreia do Sul.

Com essa denúncia, as pessoas ligadas ao médico Grigory Rodchenkov, sugerem que a FIFA realize uma rigorosa investigação, para assim evitar o que poderia ser um dos maiores esquemas de doping da história no futebol. A entidade máxima do futebol mundial comunicou ao periódico que irá analisar tais informações e antes de qualquer coisa, irá falar com Rodchenkov.

Para Bryan Fogel, diretor do documentário “Icarus – que detalhou a extensão do esquema de doping, ocorrido nos jogos de inverno”, acredita que com o depoimento de Rodchenkov irá causar um novo escândalo, agora no mundo do futebol.

“O que posso falar de Grigory é que através das ordens de Mutko – vice-primeiro-ministro e responsável pelo comitê organizador do Mundial até dezembro era de que “o futebol precisaria estar limpo”; menção essa de que jamais deveria haver testes positivos no programa de doping patrocinado pelo Estado”.

Atualmente Grigory Rodchenko faz parte do programa de proteção a testemunhas nos Estados Unidos.

Ainda segundo o jornal acima mencionado, havia um planejamento para repetir o processo de alteração de amostras de urina para que os jogadores russos pudessem consumir substâncias proibidas durante os jogos da Copa do Mundo e o responsável por isso tudo, seria o vice-primeiro-ministro russo, Vitaly Mutko.

Comentários