Peru corre risco de perder sua vaga na Copa do Mundo em 2018, diz jornal

O Peru conseguiu sua classificação a Copa do Mundo, de 2018, dentro de campo, mas pode pendê-la através da política.

Por
Compartilhe

Após se classificar no campo ao encerrar as eliminatórias da Conmebol em 5º lugar, tendo ainda a oportunidade de disputar a repescagem contra a Nova Zelândia, onde venceu pelo placar de 2 a 0 na soma dos resultados – ida e volta, o Peru por uma decisão política poderá ficar de fora do mundial.

A Seleção do Peru poderá perder sua vaga na Copa do Mundo de 2018, vindo a ser substituído por Itália ou Chile, entendam o caso:

Essa situação só virá a acontecer caso o projeto apresentado pela congressista Paloma Noceda, seja aprovado – o projeto prevê passar a autonomia da “Federação Peruana de Futebol” ao governo.

Como a FIFA não permite ingerência governamental sob as “Federações” associadas, o Peru automaticamente seria desfiliado da entidade e consequentemente perderia sua vaga garantida na Copa do Mundo da Rússia, em 2018, assim sendo, as portas ficariam abertas para o Chile ou para a Itália, que são as duas seleções melhores colocadas no ranking da organização – 10º e 14º consequentemente.

Mas o que diz o regimento da FIFA a respeito? Segundo o artigo 7, “caso uma associação seja retirada ou seja excluída da competição, o Comitê Organizador da FIFA decidirá sobre o tema e tomará as medidas que considere necessárias, podendo inclusive se assim achar melhor, substituir a associação em questão por outra associação filiada”.

Edição do Líbero que tráz a matéria.Edição do Líbero que tráz a matéria.

A notícia que foi publica pelo jornal “Líbero” teve destaque imediato na imprensa italiana, sendo que o jornal “Corrier delo Sport”, comentou a possibilidade da “Azzura” ir para a Copa do Mundo no “tapetão”.

“Itália no mundial graças ao Peru? Se isso se tornar realidade, devemos agradecer a Paloma Noceda, presidente da Comissão de Educação, Juventude e Esporte no Parlamento de Lima, que apresentou esse projeto de lei”, revela o diário.

Mas é bom salientar que o projeto da parlamentar peruana não conta com tantos adeptos e no momento está travado, o que desanimou um pouco os pretendentes a “referida” vaga.

Comentários