Muitos devem estar se perguntando - mas como o Internacional sem grana está conseguindo se reforçar desta maneira e ainda de quebra conseguindo trazer bons jogadores para compor o seu elenco? Simples, eu respondo.

Assim como já foi nas duas últimas temporadas na "Gestão Medeiros", o clube vai em busca de negócios de ocasião, ou seja, negócios que possam custar pouco ou nada e que ainda dêem lucratividade ao clube, como é o caso do último reforço anunciado nesta semana, ou digamos, no dia de ontem - aqui falando exclusivamente de Gabriel Boschilia, que para muitos torcedores é um jogador ainda desconhecido, uma vez que deixou o Brasil muito jovem, aos 17/18 anos.

A contratação do meio-campista que pegou muitos desavisados com "as calças na mão" foi na insistência e no "bom negócio" para ambos os lados. Lembrando que a mesma se arrastou por quase dois meses. Em uma primeira "investida" a direção colorada tentou trazê-lo por empréstimo, no mês de dezembro, ao qual não avançou - os franceses dono dos direitos econômicos do atleta só aceitavam a venda e por 6 milhões de euros - algo próximo a R$ 27 milhões; coisa que o Inter jamais iria fazer neste momento.

O clube brasileiro não tinha como comprometer tamanho valor e ainda contava com a concorrência de outros clubes, bem como Athletico, Bragantino/RedBull e Nantes - clube esse que o jogador defendeu na última temporada.

No entanto, o jovem meia continuava a ser visto pela direção do Inter e pela comissão técnica como uma possível alternativa para o lado esquerdo no setor de criação, visto de Eduardo Coudet está utilizando D’Alessandro como um homem mais avançado, quase como um atacante, mais próximo de Paolo Guerrero.

Gabriel Boschilia - sexto reforço colorado.
Gabriel Boschilia - sexto reforço colorado.

Com tamanho desejo no atleta, o Inter em total sigilo designou a Rodrigo Caetano a missão de trazê-lo para o Beira-Rio, que depois da primeira recusa, conversava com o representante do jogador e com os representantes do Monaco quase que diariamente. Ao meia, o dirigente colorado tinha a missão de mostrar a ele o benefício que seria uma transferência para o Beira-Rio e foi aí que o representante do jogador entrou na "parada".

Porém, ainda era preciso convencer o Monaco. Na inteligência, a direção colorada conseguiu compor uma proposta de compra - oferecendo ao clube francês a aquisição de 20% dos direitos econômicos do jogador brasileiro e caso esse venha a atingir algumas metas colocadas em contrato - no primeiro ano, o Inter terá o compromisso de adquirir mais 10%. Já os demais 40% pertencentes aos franceses, será opcional ao longo dos três anos de contrato que o jogador ainda irá assinar com o Colorado assim que desembarcar em Porto Alegre - até o final de semana.

Vale salientar, que os valores envolvidos nessa negociação não foram revelados por ambas as partes. Além do direito de compra, o Inter ainda terá o poder de revenda em um futuro, uma vez que Boschilia conta com 23 anos e tem ainda muito caminho para potencializar suas virtudes e com isso chamar a atenção de outros clubes - como ocorreu em 2015, quando era jogador do São Paulo e acabou chamando a atenção do próprio Monaco - sendo vendido ao clube francês por 10 milhões de euros.

Mesmo jovem, o Internacional será o quinto clube na carreira do jogador, conforme já divulgamos ontem, na matéria que escrevemos aqui mesmo em nosso site. Lançado para o mundo do futebol pelo Guarani (2013/2014), o jogador que "brilhou" pelo São Paulo (2014/2015) ainda tem passagens por clubes como o Monaco (2015/2020), Standard Liege (2016) e Nantes (2018/2019).

Se você for um observador nato, irá me perguntar: E em 2017, onde jogou? Neste ano, Boschilia sofreu uma grave lesão no joelho direito, tendo que ser submetido a uma cirurgia e ficou afastado dos gramados por um longo período - foram sete meses se recuperando do trauma, voltando apenas no último semestre ao Monaco, por onde entrou em campo apenas cinco vezes.

Na temporada atual, o meia entrou em campo no último dia 20, quando ajudou o time francês a derrotar o Saint-Pryvé, pela Copa da França - dando ali, adeus ao Monaco.