De quase vilão, a um dos pilares do Inter de hoje; conheça a historia de Rodrigo Moledo

Ao ser à sombra de Nilmar em 2009, o defensor chamou a atenção do então vice de futebol - Fernando Carvalho e com isso um ano depois, assinaria com o clube pelo qual hoje é um dos pilares do time comandado por Odair Hellmann.

Por Minha Torcida
Compartilhe

De quase vilão a um dos pilares do Inter. Estamos aqui falando de Rodrigo Moledo, que há 10 anos, anulou Nilmar na primeira fase da Copa do Brasil de 2009, para mais tarde, vestir a camisa do Internacional.

Exatamente assim, Rodrigo Moledo surgiu para o Colorado, quando em 2009 encarou o "poderoso" Internacional com seu modesto União Rondonópolis, na primeira fase da Copa do Brasil, na época. Ao ser à sombra de Nilmar, o defensor chamou a atenção do então vice de futebol, o ex-presidente Fernando Carvalho e com isso um ano depois, assinaria com o clube pelo qual hoje é um dos pilares do time comandado por Odair Hellmann.

Aos 21 anos, Rodrigão - como era conhecido Moledo na época, teve uma parcela significativa de culpa pela fraca exibição colorada e na quase eliminação para o União Rondonópolis, na primeira fase da Copa do Brasil daquele ano - lembrando que o Colorado que comemorava seu centenário, tinha no comando técnico o hoje treinador da Seleção Brasileira - Tite e jogadores como: Bolívar, Índio, Kleber, Guiñazu, D’Alessandro e Nilmar.

Moledo.

Do outro lado então um jovem zagueiro de apenas 21 anos, que nesta partida tinha recebido a missão de marcar Nilmar, um dos principais atacantes do futebol brasileiro e não é que ele conseguiu e não foi só no jogo de ida, mas na volta também - pois o Colorado fora de casa só havia vencido o seu rival por 1 a 0 e com isso não conseguiu anular o jogo da volta, onde por muito pouco Moledo não marcou um gol que eliminaria o Internacional da competição.

As duas boas atuações de Moledo nestas partidas pelo União Rondonópolis acabaram chamando a atenção do vice presidente do Sport Clube Internacional - nada mais, nada menos que Fernando Carvalho e no final de 2009 o contratou para jogar no Inter B. Moledo já no Inter ficou na base em 2010, vindo a subir ao time principal em 2011.

Com estilo discreto, porém eficiente, não demorou a virar titular, mesmo tendo Índio e Bolívar na equipe, conseguindo em 2013 chegar à seleção brasileira - na época treinada por Felipão. Neste mesmo ano, ele foi negociado e acabaria sendo vendido ao Metalist - da Ucrânia.

Moledo voltaria dois anos depois, em 2015, quando fez a recuperação de cirurgia no joelho esquerdo, no CT Parque Gigante, após ser liberado do clube do leste europeu. Nesta passagem chegou até ficar no banco de reservas, porém, não entrou em nenhuma partida oficial pelo colorado e sem espaço no time de Argel Fucks, voltou para a Europa, onde foi negociado junto ao Panathinaikos, em 2016.

Mesmo longe mais uma vez, manteve sua ligação com o clube gaúcho que em 2018, sob "nova direção", voltou ao Internacional. Com uma defesa que nos anos anteriores sofria com oscilações, formou uma dupla que hoje em dia coloca respeito em muitos atacantes, ao lado de Víctor Cuesta e desde então virou um dos principais jogadores do elenco comandado por Odair Hellmann, que nesta quarta-feira diante do Athletico, irá decidir a final da Copa do Brasil 2019, no Beira-Rio, às 21h30.

Torcedor: compartilhe
Siga nas redes
Comentários
Carregar comentários
Assista ao nosso último vídeo:
Inscreva-se no canal