Benfica chega ao limite do "fair play financeiro" para a temporada, ou seja, está praticamente impossibilitado de ir em busca de novos reforços para temporada 2020/2021.

O conhecimento foi dado pelo próprio clube, que enviou nesta última quarta-feira um relatório de conta, ainda relativo à temporada 2019/2020 a Comissão do Mercado de Valores Mobiliários.

Só com gasto de pessoas e receitas operacionais, o Benfica atingiu 69% do total, ficando muito próximo do limite do "fair play financeiro" da UEFA, que é de 70% no máximo. No documento enviado pelo clube português, o balanço financeiro da temporada passada mostra um crescimento de 42 milhões de euros - o sétimo ano consecutivo com resultados positivos.

Em nota, o Benfica comunica que os custos com o pessoal atingiram 85,66 milhões de euros, com um pequeno alivio nas contas comparada a temporada 2018/2019, onde com esses mesmos, o clube em questão gastou naquela época 88,25 milhões.

Desta forma, o clube de "Jorge Jesus e Cia" precisará ficar atento para não ultrapassar o limite do "fair play financeiro" estabelecido pela UEFA e se caso isso vier ocorrer, o Benfica poderá sofre sanções, inclusive podendo ser excluído de competições europeias.

No entanto, o Benfica segue de olho no mercado, onde ainda tenta seduzir o Flamengo para que esse aceite suas ofertas por Gerson e Bruno Henrique, tendo a estratégia pronta para que isso possa vir a acontecer.

De acordo com o jornal português "Record", o Benfica aguarda a definição da Champions League para voltarem à carga sobre os dois jogadores do Flamengo - o clube português disputa a primeira fase de mata-mata da competição europeia e se conseguir passar desta, estará classificado a fase de grupos, onde daí sim pretende vir com força para se reforçar ainda mais para o restante da temporada.