Você ta lembrando que pelo menos nas duas últimas semanas, andamos falando a respeito da FIFA "cobrar" dos clubes renovações de contratos com aqueles jogadores que estão com seus vínculos encerrando entre os meses de junho e julho ou até mesmo antes? Pois é, essa regra não valerá para o Brasil.

De acordo com as federações estaduais, a legislação brasileira não contempla esse critério determinado pela FIFA, lembrando que seu presidente foi enfático nesta questão, como descreveremos abaixo:

"Nos países onde a legislação permita estender o término da vigência dos contratos de trabalho até o final da temporada e prorrogar o início da vigência dos contratos subsequentes para o início da temporada seguinte".

Gianni Infantino - presidente da FIFA.
Gianni Infantino - presidente da FIFA.

Vale aqui salientar que esse "problema" já havia sido alertado pela direção do Santo André, que terá pelo menos dez jogadores com contratos sendo encerrados nesta quinta-feira - isso mesmo, hoje; entre esses atletas, está Ronaldo, atacante que já tem acerto com um time para defendê-lo no Brasileirão da Série A - aqui falamos do Sport Recife.

Também lembramos que no início desta semana, em uma reunião da Comissão Nacional de Clubes, houve um pedido para que o Campeonato Brasileiro fosse jogado com todas as suas 38 rodadas - em turno e returno - conforme foi disputado até a última temporada. Assim também como se propôs que todas as competições interrompidas sejam retomadas - aqui entra os estaduais.

Com relação ao atleta do Santo André, a FPF entende que não será fácil solucionar o problema do jogador que terá o fim de seu vínculo nesta quinta-feira - se os estaduais realmente retornarem ao calendário assim que o futebol no Brasil retornar. Em São Paulo, há a esperança de que o Paulistão retorne na primeira quinzena de maio, com apenas uma cidade sediando os jogos e com as seis rodadas restantes sendo concluídas em até três semanas, com jogos nas quartas e nos domingos.