Em meio à crise financeira que os clubes estão passando devido à falta de receitas por conta da pandemia do Coronavírus, os jogadores do Bayern de Munique, assim como os do Borussia Dortmund, aceitaram uma redução de 20% dos seus salários, segundo informa o jornal alemão "Bild". Outros clubes da Alemanha também conseguiram com que seus atletas aderissem à ideia, mas não há informação da porcentagem reduzida por cada time.

Philippe Coutinho - jogador do Bayern de Munique.
Philippe Coutinho - jogador do Bayern de Munique.

Na temporada 2018/2019, se pegarmos os números dos "Bávaros", como exemplo, com salários representavam cerca de 336,2 milhões de euros - cerca de R$ 1,8 bilhão e a receita naquele ano foi de 750,5 milhões de euros, mais de RS 4 bilhões. O que nos mostra que os salários no clube representam quase metade do que é arrecadado. Para reduzir os prejuízos nesse período sem atividades (sem futebol mesmo), todos os jogadores e dirigentes aceitaram tal medida de austeridade.

Herling Haaland - jogador do Borussia Dortmund.
Erling Haaland - jogador do Borussia Dortmund.

Como já declaramos acima, o gigante alemão seguiu uma tendência que vem sendo feita no país após o Borussia Monchengladbach ter sido a primeira equipe a tornar pública a decisão de cortar gastos. Outros clubes, como Borussia Dortmund e Bayer Leverkusen, também seguiram essa "linha", havendo assim uma predisposição de jogadores e membros envolvidos para ajudar as instituições.

Agora fica a seguinte pergunta: Será que no Brasil os jogadores e comissões técnicas também irão aceitar reduzirem suas folhas salariais durante o período em inatividade para colaborarem com suas agremiações? Veremos, uma vez que a proposta já está na mesa!