Depois de estar no Flamengo por quase um ano e ver o clube ser vice-campeão mundial, Paulo Pelaipe deixou o "Rubro-Negro" e foi comandar o departamento de futebol do São Caetano, na Série A2 do Campeonato Paulista e na Série D do Brasileiro. A saída do clube carioca aconteceu de maneira conturbada, via e-mail, por motivos políticos, depois de ter acertado a renovação de contrato por mais um ano. O dirigente não esconde o descontentamento com a forma que deixou o cargo de gerente de futebol do clube carioca, mas quer esquecer o passado e foca em um novo objetivo: fazer o São Caetano voltar a ser protagonista em São Paulo.

"Minha renovação de contrato já estava acertada com o vice de futebol - Marcos Braz, que é um grande amigo, uma pessoa muito correta, ainda conversamos sempre. Não cito nomes, não sei se foi o presidente - Rodolfo Landim ou um vice que tem muita influência que queria enfraquecer o Braz. Recebi um e-mail do RH dizendo que o contrato não ia ser renovado. Não guardo mágoa, mas as pessoas precisam ser tratadas com decência. Ter anunciado a renovação e depois tratar por e-mail foi uma falta de respeito. O clube pode ser muito grande dentro de campo, mas fora alguns dirigentes precisam respeitar mais as pessoas", afirmou Pelaipe, em entrevista ao jornal "Estado".

Paulo Pelaipe - de camisa xadrez.
Paulo Pelaipe - de camisa xadrez.

Ainda sem citar nomes, o dirigente voltou a criticar o ambiente do Flamengo. No fim de 2019, mesmo com os títulos brasileiro e da Libertadores, além do vice mundial, o clube passou por crise política. De um lado estavam Pelaipe, Marcos Braz e o diretor-executivo Bruno Spindel. Do outro, Luiz Eduardo Baptista - o Bap, que pressionava o presidente Landim a demitir o então gerente de futebol.

"Algumas pessoas que acham que são bem sucedidas pensam que todos são dependentes, mas não é assim. Educação não nivela pelo dinheiro no bolso, mas sim por outros valores. Tem muita prepotência e vaidade", disparou Pelaipe.

Após deixar o Flamengo, o então ex-gerente foi procurado pelo presidente do São Caetano - Carlos André de Freitas Lopes, para comandar o departamento de futebol em um ano importante para o clube. Em 2020, o Azulão voltará a disputar a Série D do Campeonato Brasileiro depois de ter conquistado a Copa Paulista em 2019. Em relação ao Estadual, o time do ABC está na Série A-2 e busca retornar à elite. Pelaipe aceitou a proposta e assinou contrato até o fim deste ano.