De clubes, para empresas: essa é a ideia no futebol brasileiro hoje colocada na mesa, entenda

A proposta de modificação do futebol brasileiro corre em três frentes diferentes, cada uma dessas com a sua proposta, bem como na Câmara dos Deputados, no Senado e a do próprio Governo Federal.

Por Minha Torcida
Compartilhe

Clubes brasileiros poderão virar empresas, de acordo com as últimas informações. O futebol brasileiro poderá mudar para sempre nos próximos meses, se a ideia da CBF, Federações, Governo Federal, Senado e Câmara dos Deputados forem tiradas do papel e passarem a serem regras.

Porém, nem tudo ainda está certo ou detalhado, visto que as partes continuam em discussão para ver qual o melhor caminho a tomar. No entanto, até agora o certo é que o governo não obrigará os clubes a mudarem para "empresa", devendo sim, haver um estímulo para que esses mudem.

Clube-empresa.

Futebol Brasileiro poderá ser modificado nos próximos meses, com clubes passando a "empresas".

A ideia aqui até agora discutida entre as parte já acima citadas, é diferente da implementada na "Lei Pelé", onde a legislação tentou forças a transformação, mas acabou sendo modificada após uma série de incertezas e fracassos.

Sem sabermos quais consequências essas mudanças na legislação trarão aos clubes, alguns desses, como o Botafogo e Athletico já se movimentam para esse sentido, no entanto, existem aqueles que não querem a mudança, como Corinthians e Flamengo.

A proposta de modificação do futebol brasileiro corre em três frentes diferentes, cada uma dessas com a sua proposta, bem como na Câmara dos Deputados, no Senado e a do próprio Governo Federal, mas que no fim terão que entrar em um consenso, prometendo muitas discussões ainda pela frente.

A grande dúvida que fica no ar é que se todos os clubes - pelos menos das três principais divisões do futebol nacional, estão de acordo de deixarem de serem simples "clubes de futebol", para virarem empresas em um formato de Cia/LTDA ou Sociedade Anônima.

Mais sobre: futebol brasil clubes
Torcedor: compartilhe
Siga nas redes
Comentários
Carregar comentários
Assista ao nosso último vídeo:
Inscreva-se no canal