Juventude é condenado e multado em R$ 10 mil por ato de racismo em partida válida pela Copa do Brasil

O clube gaúcho foi denunciado no artigo 243-G do Código Brasileiro de Justiça Desportiva, que fala sobre punições para casos de injúrias raciais e prevê pena de R$ 100 a R$ 100 mil.

Por Minha Torcida
Compartilhe

O Juventude foi condenado pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva – STJD, nesta última quarta-feira, a pagar uma multa de R$ 10 mil pelo episódio de racismo de um torcedor na partida contra o Botafogo, no Alfredo Jaconi, pela terceira fase da Copa do Brasil. O ato foi contra o volante Gustavo Bochecha – do time adversário, onde segundo ele, o torcedor do clube gaúcho o ofendeu com palavras discriminatórias.

Com isso, o Juventude foi denunciado no artigo 243-G do Código Brasileiro de Justiça Desportiva, que fala sobre punições para casos de injúrias raciais e prevê pena de R$ 100 a R$ 100 mil em caso de condenação.

Jogador do Botafogo que foi discriminado por torcedor do Juventude.Jogador do Botafogo que foi discriminado por torcedor do Juventude.

 

Sob a condenação, o presidente do Juventude emitiu uma nota oficial declarando concordar com a pena, reiterando que não há mais espaço para tolerar esse tipo de comportamento.

“Pela gravidade do fato, e por ser uma punição pedagógica, acreditamos que a medida foi adequada. Mas reiteramos a conscientização definitiva de nossos torcedores, mesmo que isolados, para o fato. O torcedor em questão, além do pedido de impossibilidade de frequentar o Jaconi por 720 dias, ainda poderá sofrer denúncia na esfera criminal, o que está sendo analisado pelo advogado e pelo atleta do Botafogo, que tem até seis meses após o fato para recorrer. Não podemos mais tolerar esse tipo de comportamento em nossa sociedade”, declarou o presidente – Walter Dal Zotto Jr.

Veja abaixo o que diz o Artigo 243-G do CBJD:

“Praticar ato discriminatório, desdenhoso ou ultrajante, relacionado a preconceito em razão de origem étnica, raça, sexo, cor, idade, condição de pessoa idosa ou portadora de deficiência”.

Entenda o caso:

Segundo o atleta do Botafogo, o mesmo ouviu do banco de reservas um torcedor do time adversário gritar a palavra “MACACO” durante a partida. O homem foi identificado, retirado pela polícia do estádio e encaminhado para o juizado Especial Criminal do estádio Alfredo Jaconi, para registro da ocorrência, onde posteriormente a partida, o clube gaúcho emitiu uma nota de repúdio sobre o fato.

 

Mais sobre: juventude stjd racismo
Torcedor: compartilhe
Siga nas redes
Comentários
Carregar comentários
Assista ao nosso último vídeo:
Inscreva-se no canal