Coritiba pede W.O no clássico "Atletiba" desta quarta-feira e MP-PR contesta

Vale lembrar que o clássico “Atletiba” está marcado para essa quarta-feira, às 21h30, na Arena da Baixada e por hora segue com sua programação dentro do calendário do Campeonato Paranaense.

Por Minha Torcida
Compartilhe

Mesmo não entrando em campo ainda, o “Atletiba” já está pegando fogo. Depois da Procuradoria do “Tribunal de Justiça Desportiva do Paraná” pedir que o mandante do confronto entre as duas equipes destinasse uma parte dos ingressos aos visitantes – no caso o Athletico e por descumprimento desta ordem, o mesmo tribunal pediu nesta última terça-feira que o clássico seja realizado com portões fechados.

Além do pedido da “Procuradoria” do estado, o Coritiba também ameaça a realização desta partida válida pelo Campeonato Paranaense, pedindo que o “Furacão” perca a partida por “W.O” por não ter cumprido com a determinação da “Justiça”.

O clássico desta quarta-feira poderá vir a ser com portões fechados - justiça ainda não deu seu parecer.O clássico desta quarta-feira poderá vir a ser com portões fechados - justiça ainda não deu seu parecer.

Os dois pedidos, tanto por parte da “Procuradoria”, quanto por parte do “Coritiba”, estão na mesa do “Tribunal de Justiça Desportiva”, que irá analisar a situação. Entretanto, o clássico é nesta quarta-feira e com isso a decisão da “justiça” terá que ser de imediata.

Além do pedido de “W.O”, o “Coxa” pede ainda a interdição da Arena da Baixada e a suspensão do presidente do Athletico Paranaense – Luiz Sallim Emed, onde eles destacam o seguinte:

“O Athletico até agora não cumpriu com a decisão do TJD-PR de colocar a venda os ingressos para a torcida do Coritiba, que estaria previsto para o meio dia. O Tribunal também determina que o setor de visitantes seja definido dentro da Baixada, além da não proibição de torcedores usarem as cores alusivas ao Coritiba”.

Por sua vez, o Athletico em uma nota publicada em seu site oficial, atribui ao MP-PR críticas à decisão do TJD-PR, que declara não ser responsabilidade deste órgão a decisão e a exigência de um clube quanto à venda de ingressos.

O Ministério Público-PR vai contra a decisão do TJD-PR, alegando que este não está dentro do “Poder Judiciário” e que não cabe a ele definir por situações que estejam associadas aos consumidores. Para completar, o MP-PR ainda através da mesma nota do Athletico, afirma que por duas vezes a sua ação de adotar torcida única nos clássicos entre as duas equipes foi questionada na “Justiça”, e nas mesmas obteve ganho de causa.

“A Justiça Desportiva, apesar do nome, não faz parte do “Poder Judiciário” e muito menos possui qualquer vinculação com o Estado. Sua composição se dá por indicação da Federação Paranaense de Futebol, OAB, clubes, jogadores e árbitros, para mandato de quatro anos”.

Assim, o Ministério Público acredita que a “Justiça Desportiva” ao tentar promover a defesa do “consumidor”, utilizando-se inclusive de conceitos que a própria “Justiça Comum” já declarou estarem equivocadas, extrapola suas atribuições legais.

Vale lembrar que o clássico “Atletiba” está marcado para essa quarta-feira, às 21h30, na Arena da Baixada e por hora segue com sua programação dentro do calendário do Campeonato Paranaense.

Mais sobre: ateltiba classico justica
Torcedor: compartilhe
Siga nas redes
Comentários
Carregar comentários
Assista ao nosso último vídeo:
Inscreva-se no canal