Com Gennaro Gattuso estando com a corda no pescoço no Milan, a direção do time italiano já sonda um novo comandante técnico para a equipe - trata-se de Arsène Wenger, ex-treinador do Arsenal. A informação é da revista francesa "FranceFootball".

Segundo a revista, mesmo com as últimas três vitórias de sua equipe, o seu cargo está sim ameaçado, muito pela posição do Milan no Campeonato Italiano e pela chegada dos novos acionistas ao clube. Wenger não chegaria ao rossonero somente para ser um simples treinador, mas para ter voz ativa dentro da direção milanesa, ao lado do brasileiro Leonardo - diretor esportivo da equipe italiana.

A chegada do treinador frances estaria sendo tramada pelo fundo de investimento norte-americano - a Elliot Management Corporation, que tem como donos, Paul e Gordon Singer - torcedores declarados do Arsenal, ex-clube de Wenger.

Vale lembrar que o nome de Arsène Wenger recentemente havia sido ventilado para assumir o comando técnico do Bayern de Munique e mais recente ainda, do Real Madrid, após a demissão de Julen Lopetegui há poucos dias atrás.

Em uma entrevista concedida a "SkySports" - emissora de TV inglesa, Wenger não escondeu a possibilidade de volta a beira dos gramados em um futuro próximo.

"Estarei em breve em algum lugar; pode ser ainda no começo do próximo ano, mas não posso aqui afirmar onde. Eu descansei bem. Eu assisti a muitas partidas de futebol. Eu estou sentindo falta disso", declarou o veterano treinador que passou muitos anos a frente do Arsenal, antes de dar um tempo para descansar.

O Milan atualmente é o quarto colocado no Campeonato Italiano, com 21 pontos conquistados em 11 rodadas - 10 a menos que a líder Juventus.