O estádio Monumental de Núñez está com seus dias contados, diz jornal argentino. De acordo com o "Clarin", o estádio Monumental Antonio Vespucio Liberti, o maior da Argentina, com capacidade para 61.688 pessoas e que já sediou uma Copa do Mundo, em 1978, ainda tem dez anos de vida útil.

A informação foi passada pelo próprio presidente do clube argentino - Rodolfo D’Onofrio, que planeja a construção de um novo estádio ultramoderno, no estilo "padrão FIFA", no mesmo lugar do atual Monumental de Núñez.

Em formato de "Arena", o novo estádio do River Plate terá capacidade para 80 mil espectadores, com arquibancadas cobertas, iluminação 4K, drenagem ultramoderna e um gramado que terá a mistura de grama sintética com natural. No novo estádio, a pista de atletismo que hoje circunda o gramado, desaparecerá, deixando assim os torcedores mais próximos do campo e de seus ídolos.

Ainda de acordo com a direção do River, a construção da "Arena" deverá girar em torno de US$ 300 milhões - algo próximo a R$ 1,23 bilhões. O presidente do clube argentino já vislumbra o estádio do River Plate como um dos que irão sediar a Copa do Mundo de 2030 - que tem como candidatos, a Argentina, Uruguai e Paraguai em um mesmo plano.

Ainda de acordo com a matéria do Clarin, a direção do clube argentino também estuda a possibilidade de reformar o atual Monumental de Núñez, caso não consiga suporte financeiro para a construção de um novo estádio - nesse sentido, fará uma grande reforma que deverá custar algo entre US$ 100 a US$ 150 milhões. Porém, a reportagem acredita que uma reforma do estádio geraria uma perca de R$ 82 milhões em bilheteria - por temporada, visto que teria que alugar outro campo para o time atuar e esse aluguel sairia em média de R$ 205 milhões, por jogo.

Seja a construção de um novo estádio ou simplesmente a reforma do Monumental de Núñez, quem na verdade decidirá, será o torcedor do River Plate. O projeto da reforma ou da construção do estádio terá que passar pela Assembléia de Sócios do clube, ou seja, serão os sócios que decidirão o futuro do atual Monumental de Núñez.