Na manhã desta sexta-feira, na sede do Superior Tribunal de Justiça Desportiva - STJD, o Sport Clube Internacional foi julgado pelo tumulto ocorrido após o empate em 1 a 1 com o Criciúma, nas dependências do estádio Beira-Rio; tumulto este entre torcedores e Brigada Militar.

Denunciado pela Procuradoria devido ao quebra-quebra acima citado, a Quarta Comissão Disciplinar penalizou o clube gaúcho com multa de R$ 10 mil, um alívio para os Colorados, que corriam o risco de perder o direito de jogar em seu estádio.

O Internacional foi denunciado pela Procuradoria na última quarta-feira, quando a mesma apresentou denúncia e enquadrou o clube no artigo 213, inciso I e parágrafo 1º do Código Brasileiro de Justiça Desportiva - CBJD, por deixar de tomar providências capazes de prevenir e reprimir desordens em sua praça de desporto - pena prevista de R$ 100 a R$ 100 mil e até mesmo perda de 10 mandos de campo.

Na ocasião, os torcedores colorados entraram em conflito contra a Brigada-Militar com arremessos de pedras e garrafas contra a área de imprensa do Beira-Rio, sendo que além de vidraças quebradas, a loja oficial do clube foi saqueada, para reprimir a baderna, a Brigada Militar arremessou sobre os vândalos gás-lacrimogêneo e bombas de efeito moral.

A pedido da Promotoria do Torcedor do Ministério Público, duas organizadas do clube foram suspensas pelo juizado do torcedor após o ocorrido.

Com a aplicação mínima da pena pelo STJD, o Internacional poderá receber a equipe do Goiás as 21h30 no Estádio Beira-Rio, já na próxima terça-feira, 01 de agosto, pela 18ª rodada da Série B.