Neymar não gostou nadinha de ter ficado como opção no banco de reservas no duelo contra o Real Madrid, na tarde/noite desta última terça-feira, no Santiago Bernabéu, pela Champions League. A decisão de Tuchel de colocá-lo somente no segundo tempo gerou irritação no brasileiro. O anseio do jogador em participar da partida era grande e nem a oportunidade de atuar nos 45 minutos finais foram suficientes para amenizar a situação. Em campo, a atuação do atacante brasileiro foi pouco destacada no empate por 2 a 2.

Neymar foi informado por Thomas Tuchel sobre a presença no banco de reservas logo pela manhã na concentração do time em Madri. De acordo com informações de alguns sites esportivos, não houve discussão entre os dois, mas sim um posicionamento claro do brasileiro de que se sentia preparado para atuar os 90 minutos.

Neymar durante o tempo em que esteve no banco de reservas na partida contra o Real Madrid.
Neymar durante o tempo em que esteve no banco de reservas na partida contra o Real Madrid.

Após o empate em 2 a 2 diante do Real Madrid - fora de casa e que deu a liderança no grupo para o PSG, o técnico da equipe declarou o seguinte em relação ao seu posicionamento com o jogador brasileiro:

"Não tenho medo de perder o Neymar por essa suplência. Nós temos uma relação clara. Falei com ele hoje o que pensava que é o de ter ele para finalizar o jogo. Eu não tenho o Neymar por 90 minutos por questão física e sou responsável por gerir isso. Já usei essa mesma postura com o Mbappé contra o Galatasaray e o Brugge. Fui claro com o Neymar para dizer o que penso. Nada mais é do que querer ele para finalizar um jogo duro. E essa é a maneira que eu penso e ele precisa de paciência", destacou Tuchel.

O pedido de paciência veio por que Neymar já demonstrou um descontentamento com o treinador alemão ao ser substituído na vitória contra o Lille por 2 a 0, na última semana, pelo Campeonato Francês. Na ocasião, o camisa 10 foi direto aos vestiários e não conversou com o elenco após o jogo

Neymar nos últimos dias tem adotado uma postura diferente - a de ficar calado no PSG. No Santiago Bernabéu, ele foi um dos primeiros a deixar os vestiários após o jogo e não atendeu a nenhum dos diversos pedidos dos jornalistas por entrevistas. Outra postura de Neymar que chamou a atenção foi o fato de o jogador optar por nem participar do aquecimento do time ao lado dos outros reservas. Juntos a ele estiveram Cavani e Paredes, outros jogadores que estão descontentes com as escolhas de Tuchel para o time titular.