Em meio às semifinais de suas mais importantes competições, a UEFA apresentou nesta última quarta-feira, em uma reunião em Nyon, na Suíça, um projeto às Ligas Europeias para a criação de uma nova "Champions League" a partir de 2024. No entanto, a proposta gerou certa polêmica, segundo informações da agência de notícias "AFP", visto que o plano da entidade se mostra favorável aos clubes de maior expressão.

De acordo com a UEFA, o formato da "nova" Champions League passaria a ter oito clubes, em quatro grupos, diferente dos tempos de hoje, onde temos quatro times divididos em oito grupos. O novo formato aumentaria o número de jogos e passaria a contar com um sistema de acesso e rebaixamento, aparentemente favorável aos maiores clubes do continente.

Porém, o presidente da UEFA declarou em nota que nenhuma decisão foi tomada ainda.

"Nenhuma decisão foi tomada. Até o momento são apenas idéias, opiniões", declarou Aleksander Ceferin.

Ainda segundo o novo projeto, os cinco primeiros colocados de cada grupo se classificariam de forma direta para a edição seguinte da Champions, independentemente de seus resultados nos campeonato locais, o que poderia reduzir o interesse do público nas competições nacionais.

Sobre o tema, o diretor geral da Liga de Futebol Profissional da França - Didier Quillot, não quis comentar sobre o caso, no entanto, confirmou que a UEFA realizou uma apresentação detalhada sobre o projeto de reformulação da Champions League e que o mesmo é direcionado para uma competição mais fechada. Vale lembrar que o mesmo na última terça-feira já havia solicitado a UEFA, que a mesma repensasse o projeto, se mostrando contrário ao "fechamento" do torneio.

É bom salientar que nesta proposta apresentada, a UEFA não confirmou jogos europeus aos finais de semana, conforme vinha sendo especulado nas últimas semanas, para o alívio das Ligas Europeias.