"Pano pra manga"! Decisão do Superior Tribunal de Justiça Desportiva que liberou a presença de torcida em jogos do Flamengo está dando o que falar entre os demais clubes da Série A e também dentro da CBF.

Assim como clubes paulistas, a própria FPF e o Internacional - próximo adversário do Flamengo no Campeonato Brasileiro; a Confederação Brasileira de Futebol em nota divulgada na noite desta última quarta-feira (4) avisou que irá recorrer da decisão do STJD.

Causas da decisão do STJD

Com a permissão concedida pelo tribunal em questão, o Flamengo está provisoriamente autorizado a realizar partidas com público quando for mandante em competições organizadas pela entidade máxima do futebol brasileiro.

Segundo o Superior Tribunal de Justiça Desportiva, o número de torcedores teria que ser definido de acordo com a carga máxima estabelecida pelo município que sediará o determinado jogo, sem a necessidade de que o local seja propriamente o estado do Rio de Janeiro.

Além disso, a liminar concedida ao rubro-negro também diz que "as regras estabelecidas nos planos de retorno das cidades" devem ser respeitadas, no entanto, tais determinações não convenceram a entidade máxima do futebol nacional, que promete então recorrer de tal decisão.

Em sua nota, a CBF destaca que a liminar concedida ao Flamengo contraria "a deliberação tomada pelos clubes em reunião do Conselho Técnico da Série A", ocorrida em 24 de março deste ano.

Veja abaixo trecho desta nota

"O pedido do Clube de Regatas Flamengo e a decisão proferido contrariam deliberação tomada pelos Clubes em reunião do Conselho Técnico da Série A, ocorrida em 24 de março de 2021 que, dentre outras questões, vedou a presença de público nos estádios até nova apreciação do assunto pelos Clubes. Tal vedação é objeto de Diretriz Técnica que integra expressamente o Regulamento Específico da Competição".

Como também destacamos no início desta matéria, o pedido do Flamengo pegou mal entre alguns clubes da Série A, bem como Santos, Palmeiras, Corinthians, São Paulo, RB Bragantino e Inter, que publicaram comunicados em suas redes sociais horas depois da nota divulgada pela CBF.

Ambos os clubes discordam integralmente da decisão, visto que a mesma favorece apenas um clube, e criticam a postura do STJD.