Com a paralisação do Campeonato Paulista 2021 por conta de um decreto estadual imposto na semana passada, clubes e FPF se reúnem mais uma vez nesta segunda-feira - 22 de março para encaminhar os próximos passos sobre o torneio. Sempre lembrando que o mesmo está paralisado por conta das restrições do estado em decorrência do aumento de casos e mortes pela COVID-19.

Clubes e Federação Paulista de Futebol

O futuro do Campeonato Paulista 2021 terá um novo capítulo nesta segunda-feira, a partir das 10h da manhã, onde representantes dos clubes filiados a Federação Paulista de Futebol e integrantes desta fazem um novo encontro virtual para discutir o que pode ser feito enquanto o futebol estiver paralisado no estado; o mesmo ficará assim até o dia 30 deste mês.

Nesta reunião, os dirigentes irão discutir se levam os jogos do Paulistão 2021 para fora do estado ou se aguardam o fim desta fase emergencial. Entre os 16 clubes participantes da "Elite" do futebol paulista, existe um consenso de que o torneio tem que ser cumprido e, se possível, encerrado na data prevista, ou seja, no dia 23 de maio, para que o mesmo não coincida com os jogos do Brasileirão 2021.

Os 16 times da "Série A1" do Campeonato Paulista aceitam jogar em outros estados, no entanto, a ideia ainda encontra alguns "obstáculos": Os custos e a recusa de outros governadores que não aceitam esses jogos em seus estados.

Em caso de consenso em levar esses jogos para fora de São Paulo, as opções são poucas, uma vez que o Rio de Janeiro que serviria como opção, não deu a autorização necessária. Outro estado que estava em pauta era Minas Gerais, mas esse também impediu a realização dos jogos do Campeonato Paulista por lá.

Clubes mantêm rotina de treinos

Mesmo não podendo jogador e ainda não tendo um lugar para que essas sejam realizadas durante a paralisação em São Paulo, os clubes participantes do estadual seguem mantendo suas rotinas de treinos. Nesta nova reunião não está descarta a possibilidade dos clubes voltarem a discutir a possibilidade de levar a ação do governo estadual a justiça; aguardemos!