Palmeiras tem pedido de impugnação da final do Paulistão negado pelo TJD-SP

A decisão do presidente do TJD-SP, foi de que o prazo para o pedido de impugnação estava prescrito, visto que o clube interessado teria até 48 horas para fazer

Por
Compartilhe

Não deu; o Palmeiras não conseguiu impugnar o segundo jogo da final do Campeonato Paulistas – a decisão foi do presidente do Tribunal de Justiça Desportiva de São Paulo, Antonio Olim, que negou nesta sexta-feira o pedido protocolado pelo “Verdão” na última quarta-feira no TJD-SP.

Uma das analises feitas pela TJD e que foi decisiva para a decisão do presidente da entidade, foi de que o prazo para o pedido de impugnação estava prescrito, visto que o clube interessado teria até 48 horas para fazer – o que não foi o caso do Palmeiras, que entendeu ter tempo hábil para fazê-lo.

Antonio Olim - Presidente do TJD-SPAntonio Olim - Presidente do TJD-SP

No trecho da decisão do presidente do TJD-SP – Antonio Olim, o magistrado declarou o seguinte: “... o impugnante teria até o final do expediente do dia 10 de abril para entrar com a presente medida, fato que só ocorreu no dia 25 de abril, o que torna intempestiva”.

O Palmeiras em seu pedido de impugnação da segunda partida da final do Campeonato Paulista, contra o Corinthians, alegou que houve interferência externa da arbitragem na anulação da marcação de um pênalti, de Ralf sobre Dudu, na segunda etapa do clássico que definiu o “Timão” como o Campeão Paulista, no último dia 08 de abril.

Com tudo isso, a direção do Palmeiras juntou imagens da confusão em sua arena, vindo até mesmo a contratar uma empresa para investigar o caso, alegando a partir daí ter provas de que o árbitro Marcelo Aparecido Ribeiro de Souza voltou atrás de sua decisão após receber informações de fora do campo.

Entretanto, para Olim, o clube requerente não tem mais o que solicitar mediante a decisão no TJD-SP, mas se entender que realmente essa decisão não é justa, o Palmeiras poderá ainda recorrer às instâncias superiores, como o Superior Tribunal de Justiça Desportiva e ao CAS.

Mais sobre: palmeiras tjd corinthians
Comentários