No clássico que, há 19 anos não ocorria em uma decisão de campeonato Paulista, fizeram uma partida cheia de polêmicas, lances ríspidos e apenas um gol. Borja deu a vitória ao Verdão nos primeiros minutos de jogo e agora o Palmeiras leva para casa a chance de faturar o título com um empate. Felipe Melo e Clayson foram expulsos no final do primeiro tempo.

Gol cedo

Os mais de 43 mil torcedores presentes em Itaquera no último sábado não saíram do estádio com a vitória, mas certamente viram uma partidaça entre os clubes que protagonizam um dos maiores clássicos do Brasil. O Jogo foi tenso e intenso durante todos os 90 minutos e começou com a abertura no placar logo aos seis, com Borja. Depois da tentativa de Dudu em cruzar a bola beliscou a trave, na sobra William encontrou Borja na área para bater e colocar ainda mais fogo no jogo.

Borja está tendo um ótimo ano pelo Palmeiras
Borja está tendo um ótimo ano pelo Palmeiras

O gol cedo deu mais tranquilidade para o Palmeiras acalmar o jogo, tocar a bola, mas o Corinthians não permitiu que o gol esfriasse o jogo. Foi para cima com Rodriguinho, Maycon e Clayson tentaram, mas pararam no goleiro Jailson ou então chutando para fora.

Briga e expulsões

Discussão e muito empurra-empurra
Discussão e muito empurra-empurra

Já nos acrescimos do primeiro tempo, uma jogada na lateral gerou uma tremenda confusão entre os jogadores de Corinthians e Palmeiras. A discussão começou depois da falta marcada de Borja em Henrique. A reclamação dos jogadores do Corinthians acabou resultando num empurra-empurra generalisado, com excessos de Felipe Melo e Clayson. O árbitro viu, aguardou a calmaria e amarelou os envolvidos na falta e mandou para o chuveiro os principais envolvidos na confusão, Felipe Melo e Clayson.

Borja assiste a troca de farpas entre Felipe Melo e Clayson
Borja assiste a troca de farpas entre Felipe Melo e Clayson

Segundo tempo

Na segunda etapa, os dois times criaram boas oportunidades, mas o Palmeiras conseguiu neutralizar o principal jogador dos donos casa, Rodriguinho; assim o Corinthians não conseguiu alterar o placar proposto pelo Palmeiras e tudo será decidido no próximo domingo, diante da torcida do Verdão.

Dudu e Rodriguinho
Dudu e Rodriguinho

Para garantir o título, o time de Roger Machado precisa apenas de um empate em casa, já a equipe de Fábio Carille precisa vencer por dois gols de diferença. Se devolver o placar de 1-0, a decisão vai para os pênaltis. 

Fala Alexandre Mattos

Tirando a confusão de lado, o Diretor de Futebol do Palmeiras, Alexandre Mattos, elogiou o gol de Borja, que dá mais tranquilidade para trabalhar a partida de volta: " Ele é um jogador muito forte. Está ainda aprendendo algumas situações táticas, quer e tem humildade para aprender, mesmo tendo sido eleito melhor jogador da América (em 2016). Qualquer time do Brasil queria o Borja naquele momento, agora ele está confiante e adaptado ao futebol brasileiro", comentou.

Fala Clayson

Já Clayson, personagem da confusão, acusou o árbitro de fazer ameaças: "Senti a mão no rosto, quando vi era ele (Felipe Melo). Mas justamente por vir mal intencionado (o árbitro), com nós dois, me ameaçando desde o começo, falando que ia me expulsar, aí acho que ele teve a oportunidade e me expulsou, acho que depois do momento, no jogo quente, acabou acontecendo", reclamou.

Fala Carille

O técnico Fábio Carille isentou a arbitragem de culpa pelo resultado e pelas expulsões: "Eu não tenho nada para falar da arbitragem, para mim no Paulista ela foi muito boa, no campeonato todo, a única coisa que não gostei, até por curiosidade quero saber quantos minutos a bola rolou, achei que foi muito parado. Posso estar errado na emoção do jogo, mas fiquei com a impressão, tiro de meta, falta, muita conversa, mas não tenho nada para falar sobre arbitragem não", disse o treinador.

O que diz o árbitro sobre o lance

Segundo o árbitro Leandro Bizzio Marinho, Clayson recebeu o vermelho "por desferir dois tapas com força excessiva em seu adversário [...] sendo que o primeiro acerta o braço direito do mesmo, e o segundo não o atinge." Já Felipe Melo foi expulso "por revidar à agressão sofrida pelo seu adversário [...] segurando o mesmo pelo pescoço utilizando de força excessiva."

Quem leva a taça do Paulistão?