Em meio à crise da "COVID-19" e das várias incertezas sobre o futuro do futebol no Brasil, uma vez que esse depende de uma decisão das autoridades e da CBF para poder retornar ao seu calendário, a Federação Gaúcha de Futebol acreditando em um possível retorno do Campeonato Estadual, cogita a decisão do mesmo com jogo único na final.

Negando qualquer tentativa de alteração na forma de disputa do campeonato, Luciano Hocsman - presidente da FGF disse que essa ideia é uma possibilidade de que o título seja definido em campo. Segundo Hocsman, a ideia ainda é nova e tem que ser debatida e aprovada pelos clubes.

Lembrando sempre que o Campeonato Gaúcho pode ser sim decidido sem uma "final", para isso bastaria o Caxias vencer o segundo turno - como já foi campeão da primeira fase, automaticamente seria o grande campeão estadual 2020.

"A forma de disputa, não iremos alterar. Pode ocorrer de usar uma data a menos. A única questão é que em vez de fazer duas finais, podemos fazer apenas uma, sem a presença da torcida, claro. Mas isso tem que ser debatido com os clubes", declarou Luciano Hocsman - presidente da Federação Gaúcha de Futebol.

Hocsman esteve em reunião na última terça-feira com os presidentes das demais federações e com o presidente da CBF - Rogério Caboclo, onde através de uma videoconferência debateram sobre possíveis datas e sobre o cenário para a volta do futebol em todo o Brasil.

Hocsman (a direita no canto inferior) em reunião com a CBF e demais federações - Imagem: FGF.
Hocsman (a direita no canto inferior) em reunião com a CBF e demais federações - Imagem: FGF.

"Eles (CBF) deram algumas ideias com relação a datas. Por enquanto, tem muita especulação. Algumas coisas que estão próximas, outra, nem tanto. Eu acho que a questão de maio, junho, julho, qualquer mês que a gente pense em retornar, é condicionada aos órgãos de governo. Sem ter orientações desses órgãos de governo, não adianta a federação dizer, o clube dizer. Se não tiver um alinhamento com as autoridades. Se não houver uma orientação dos órgãos do governo, não vejo como", revelou o mandatário da FGF.

Ainda no aguardo de uma posição por parte do governo estadual e da saúde, o presidente da FGF revelou que terá uma reunião com os 12 representantes dos clubes que disputam o Gauchão na próxima sexta-feira - também conhecida por "amanhã", onde irão discutir a volta do campeonato.

"Se as autoridades não sinalizarem para uma possível volta, quero definir com eles algumas questões de regulamento, que não estão condicionadas ao reinício da competição. É bom, que deixamos isso alinhado. Já busca atualização com Ministério Público e Secretaria do Esporte e quando decidir. A forma de disputa não será alterada. É mais a questão contratual, que a gente tem algum probleminha", revelou.

Para finalizar, ele garantiu novamente que a sua ideia é de finalizar o estadual dentro de campo, com a realização das demais partidas do segundo turno e uma eventual final. Caso isso não seja possível, irá esperar uma posição da CBF sobre vagas para as competições nacionais - como Copa do Brasil 2021. As chances do Gauchão ser anulado sem que aja um campeão e times rebaixados, são enormes.

"Se retornar, mantém o resultado do campo. O previsto no regulamento, tanto campeão, quanto vagas. As vagas vamos decidir com a CBF, porque as vagas são dela. Depende se a temporada é nula, se não existiu. Sem terminar dentro de campo, faltando três rodadas e considerando distanciamento entre os clubes da parte de baixo da tabela, acho que é injustiça declarar encerrado e rebaixar quem estiver embaixo. Encerrado, não vai ter campeão, nem vai ter rebaixado", finalizou.

O Gauchão 2020 está suspenso desde o dia 16 de março, seguindo sem uma data prevista para ser retomado. Lembrando novamente que os 12 clubes participantes e a FGF irão se reunir nesta sexta-feira para tratar sobre uma possível volta e de questões que estão no regulamento.