Brasileirão 2020 a "perigo"! De acordo com matéria publicada pelo site "globoesporte.com", o Sindicato dos Atletas de São Paulo está ameaçando ir a Justiça para solicitar a paralisação do Campeonato Brasileiro caso a CBF não de um jeito nos protocolos previsto para a volta do futebol no país.

Através de uma nota oficial enviada a entidade máxima do futebol no Brasil, o sindicato paulista defende duas soluções para a continuidade das atividades futebolísticas no país e em especial as competições organizadas pela própria CBF; que lembrando já teve um jogo adiado do Brasileirão por conta de atrasos na entrega dos resultados dos testes para a COVID-19, na partida entre Goiás e São Paulo, no final de semana passado, onde quatro atletas do Goiás foram confirmados "positivos" para o novo Coronavírus.

O Sindicato dos Atletas de São Paulo dá como exemplo a Alemanha, que obrigava isolamento das delegações por até sete dias antes das partidas - tempo esse para que os exames fossem realizados e os resultados apresentados; além desse, o mesmo ainda cita a NBA, que criou uma espécie de "bolha" em Orlando para a disputa do campeonato de basquete nacional.

Em resumo, tal sindicato pede que os times sejam isolados por toda a competição, uma vez que o calendário brasileiro é apertado e esses mesmos times estão disputando partidas a cada três dias.

No documento enviado a CBF, o Sindicato não comenta sobre a possibilidade de acionar a Justiça, mas sim em seu site, onde esse destaca o seguinte:

"Em caso de resposta negativa, para a entidade dos jogadores paulistas não restará alternativa a não ser o já conhecido caminho judiciário".

Jogadores do São Paulo sendo avisados da anulação do jogo diante do Goiás - imagem: Reprodução/TV Globo
Jogadores do São Paulo sendo avisados da anulação do jogo diante do Goiás - imagem: Reprodução/TV Globo

Lembramos

Um dia após o adiamento do jogo entre Goiás x São Paulo pela primeira rodada do Brasileirão 2020, a CBF informou que aplicaria mudanças no referido protocolo, onde essa passou a permitir que os testes para a COVID-19 fosse realizado em todos os jogadores do elenco - num total de 40 jogadores e não somente 23 por rodada; além de permitir que os clubes realizassem esses testes em clínicas especializadas e não somente no hospital Albert Einstein - em SP, desde que esses fossem de conhecimento da própria entidade, ou seja, da CBF.

Nesta última terça-feira, mais casos de jogadores contaminados pelo Coronavírus foram detectados - sendo quatro jogadores do Atlético-GO, que irá enfrentar o Flamengo nesta quarta-feira, mas através de um recurso apresentado pelo clube goianiense, a Comissão Médica da CBF autorizou esses jogadores a participarem da partida de logo mais, uma vez que eles já haviam cumprido com o isolamento.

"Baseamos-nos em uma norma do Centro de Controle e Prevenção de Doença dos Estados Unidos, já aceita pela OMS. Essa norma prevê que, após um exame de PCR positivo, o isolamento de dez dias é suficiente para liberar o paciente", declarou o médico-chefe da comissão da CBF - Jorge Pagura.

Salientamos ainda que esse problema não seja exclusivo somente da Série A, pois na Série B do Brasileirão casos semelhantes estão ocorrendo, com o jogo da Chapecoense e CSA, que teve que ser adiado após o time alagoano perder 18 jogadores que foram detectados positivos para o Coronavírus.