Para evitar o que ocorreu neste último domingo, em partida válida pela primeira rodada do Brasileirão 2020, entre Goiás x São Paulo, a Confederação Brasileira de Futebol deverá apresentar novas mudanças nos protocolos de saúde e no controle dos exames que detectam contaminados pela COVID-19.

Lembre o caso

Momento em que o árbitro anuncia o adiamento do jogo aos atletas do São Paulo
Momento em que o árbitro anuncia o adiamento do jogo aos atletas do São Paulo

Neste domingo, em partida válida pelo Brasileirão 2020 - primeira rodada, o duelo entre Goiás x São Paulo foi adiado 10 minutos antes de a bola rolar, com o Tricolor Paulista já em campo - o motivo deste foi em decorrência de nove casos confirmados do Coronavírus em atletas do time esmeraldino; desta forma, para evitar que o Campeonato Brasileiro venha a ser paralisado em meio a temporada, a entidade máxima do futebol irá cobrar mais rigor no controle de possíveis infectados, abrindo a possibilidade de os clubes realizarem exames sem ser no Hospital Albert Einstein.

O hospital em questão é parceiro da CBF, e a ideia da entidade era de que todos os clubes realizassem os testes no mesmo lugar, com coleta feita por hospitais locais. No entanto, a demora dos resultados virou alvo de críticas e motivo do jogo de domingo ser adiado.

A Federação garante que o hospital continua sendo parceiro, mas de agora em diante permitirá que os clubes busquem outros locais para a realização dos exames de seus elencos. O Corinthians foi o primeiro clube a se manifestar a respeito do assunto, declarando que não se utilizará do Einstein para a realização de seus testes, alegando que há falhas e inconsistências nos exames realizados no mesmo.

Vale aqui ressaltar que os laboratórios escolhidos pelos clubes deverão ser aprovados pela Comissão Média da CBF.