Ele está de volta, sim! Estamos falando do Campeonato Brasileiro, que finalmente neste próximo final de semana terá sua rodada inicial, após um longo período do futebol paralisado por conta do novo Coronavírus.

E para que esse possa ter suas partidas neste "novo" normal, a Confederação Brasileira de Futebol estabeleceu uma diretriz detalhada para não somente o Brasileirão, mas sim para todos os torneios nacionais, onde jogadores, técnicos e árbitros terão que realizar testes regulares, encarando mudanças até mesmo no cerimonial pré-jogo.

Pelo menos até não ser encontrada uma vacina eficaz para a COVID-19 ou até o governo declarar que está "normalizada" a situação no país, não serão mais permitidos a execução de hinos e comprimentos entre atletas no início das partidas.

Brasileirão - CBF - imagem: CBF
Brasileirão - CBF - imagem: CBF

As novas "regras" do Campeonato Brasileiro foram colocadas em um livro que contém pelo menos 60 páginas e que foi elaborado sob a coordenação do presidente da Comissão de Médicos da CBF - Jorge Pagura. Para que esse pudesse estar pronto, foram pelos menos quatro meses de muitos estudos, discussões com mais de 140 médicos e opiniões de epidemiologistas e infectologistas, até a entidade máxima do futebol no Brasil fixar uma regra de como o futebol nacional seguirá neste momento de pandemia.

Uma das principais definições da CBF está na padronização de seus testes para a COVID-19, uma vez que todos esses serão bancados pela entidade e realizados no hospital "Albert Einstein". Aqui entendam para todos os torneios organizados pela entidade - futebol masculino e feminino - Brasileirão e Copa do Brasil.

De acordo com a CBF, três dias antes das partidas, os 23 atletas de cada time - mais os dois técnicos e os quatro árbitros, serão testados para o novo Coronavírus, ou seja, serão 52 exames por jogo. O resultado das análises será apresentado em no máximo 24 horas.

Vale ressaltar que ao longo da sequência da temporada, existe a expectativa de que essa "cartilha" possa ser revista, uma vez que a CBF aposta em uma melhora da situação da pandemia no Brasil.