O Campeonato Brasileiro deve mesmo iniciar em pouco mais de um mês - pelo menos é isso que garante o próprio presidente da Confederação Brasileira de Futebol - Rogério Caboclo, que neste último final de semana voltou a afirmar que a Série A terá seu início no dia 09 de agosto.

Em entrevista ao jornal "O Globo", Caboclo voltou a afirmar que as datas para o início do Brasileirão - Séries A, B e C estão confirmadas para ocorrerem no próximo mês - a principio as séries B e C teriam suas primeiras rodadas nos dia 08 de agosto, já a Série A no dia seguinte - a Série D ainda não tem uma data prevista para o seu começo.

"Na Série A, teve um voto dissidente sobre o mando, mas nenhuma dúvida se a competição irá começar ou não no dia 09 de agosto. Brasileirão é algo definido e determinado. A Série B inicia no dia 08, na véspera. Definimos com a Série C que ela recomeçará na mesma data da B. Já a Copa do Brasil deverá voltar em 26 de agosto", declarou o mandatário da CBF ao jornal acima citado.

Cúpula de dirigentes da CBF - Rógéria Caboclo ao centro
Cúpula de dirigentes da CBF - Rogério Caboclo ao centro

Rogério Caboclo ainda disse que a Série A do Brasileirão deverá mesmo ser finalizada somente em 2021, desta forma não tem mais como esperar, visto que reconhece a impossibilidade de espremer as datas necessárias deste ano e com isso conseguir ajustar o calendário do futebol somente em 2022.

"As competições deste ano irão invadir janeiro, fevereiro, podendo chegar até março. Mas temos algumas premissas que vão além. Muita gente não leva em consideração. Nosso horizonte é a Copa do Mundo de 2022, marcada para iniciar em novembro. Com isso obriga nosso calendário a terminar pelo menos um mês antes, em outubro de 2022. Temos quase que a obrigação de encerrar 2020 na segunda quinzena de fevereiro de 2021; iniciar os estaduais na última semana do mesmo mês, o Brasileiro no final de maio de 2021", emendou ele.

Com relação à Série D, essa terá um calendário diferente. Tendo ela 68 equipes participantes, com 61 cidades diferentes, não há a mesma flexibilidade para jogar em outras praças. Já com relação aos estaduais e para que esses sejam conciliados ao Brasileirão, Caboclo declarou o seguinte:

"Sou entusiasta dos estaduais. São o cerne do futebol nacional. Promovem a disputa local, criam interesse do torcedor. Há um aspecto importante: a possibilidade de mais clubes de âmbito nacional terem a chance de títulos. Com isso, podem manter e aumentar suas torcidas, obter receitas. Existe outro ponto: o fomento do futebol em sua essência, forjar os nosso craques. Por isso a cadeia do futebol é tão rica. Quando a gente tirar a oportunidade de clubes da Série D de disputarem com grandes uma competição inteira, podemos ruir com um sistema altamente produtivo".