Reviravolta no caso "Ramírez e Gerson". De acordo com as últimas informações a respeito do assunto, o Flamengo não encontrou nenhum tipo de ofensa do jogador colombiano ao atleta do "mengão" aqui em destaque, mas sim a Bruno Henrique.

A revelação foi feita pelo vice-presidente jurídico do clube carioca - Rodrigo Dunshee de Abranches, que revela o que o clube apurou após horas de análise de todo o jogo entre Flamengo e Bahia, realizado no último final de semana, pelo Campeonato Brasileiro.

De acordo com esse, as câmeras da transmissão de qualquer partida não ficam cada segundo focadas nos jogadores, ou pelo menos em seus rostos. Desta forma a acusação de Gerson que diz ter ouvido Ramírez dizer a ele: "Cala a boca, negro", não fora localizadas nessas imagens, como divulgou a própria Globo, no dia de ontem.

"Não foram captadas outras imagens do momento exato em que a ofensa teria acontecido, que permitam apurar o que foi dito pelo atleta. Ressaltamos que as imagens estão sendo concedidas exclusivamente para a apuração do incidente supostamente ocorrido, não sendo permitida qualquer outra utilização".

Foram revista cenas da partida aqui já destacada entre 6 minutos e 22 segundos até 8 minutos do segundo tempo, quando os dois personagens deste caso estavam bem próximos um do outro e nada foi visto com relação a que Gerson acusa o jogador colombiano, no entanto, o Flamengo garante ter provas de que o atleta do Bahia foi sim racista, mas com outro jogador seu. Aqui entra Bruno Henrique.

Bruno Henrique e Índio Ramírez

Aos 20 minutos da etapa complementar do jogo entre Flamengo e Bahia ocorreu uma dura discussão entre os dois atletas (Bruno Henrique e Ramírez), onde o jogador do time baiano teria dito o seguinte ao jogador flamenguista: "Está falando muito, seu negro". Neste mesmo instante, Bruno Henrique teria respondido o seguinte: "Gringo de m...".

Mesmo não contendo provas do que disse Gerson a respeito do jogador do Bahia, a situação do colombiano não será aliviada por conta disso, bem pelo contrário, uma vez que esse teria ofendido outro atleta do time adversário.

Bruno Henrique diz não ter comentando nada, porque alega não ter ouvido ele falar o que "dizem" as imagens. Porém, se a investigação aceitar a transcrição do diálogo e esse for realmente provado, Ramírez poderá ter sérios problemas: legais e esportivos.

Bahia diz não ter recebido as novas provas

Com relação às alegações do Flamengo, o Tricolor Baiano diz que não teve acesso a essas imagens e completa dizendo que já realizou sua própria apuração.

Por parte do Bahia, o presidente do clube - Guilherme Bellintani garante que se nada for provado, o jogador colombiano será perdoado e voltará a ser reintegrado ao elenco. Desta forma, mesmo necessitando do bom futebol desempenhado pelo jogador, o Bahia ainda assim o manterá de fora enquanto esse assunto não seja resolvido.