Logo após a vitória azulina contra o Cruzeiro, nesta última sexta-feira, em partida válida pela 35ª rodada do Brasileirão, ainda dentro do Mineirão, o treinador Argel Fucks pegou muitos de surpresa ao confirmar a sua saída do CSA e seu acerto com o Ceará para a reta final do Brasileirão.

"A gente sai com o dever cumprido, de portas abertas, agradecendo o apoio do torcedor, do clube, mas é um projeto diferente, já houve um convite muito forte em outubro e agora o convite é mais forte ainda. E entendi, juntamente com minha comissão técnica, que era o momento de irmos para um desafio diferente. Eu gosto desse tipo de desafio, foi isso que a gente fez e nós saímos daqui deixando o time vivo na competição".

O treinador falou sobre o desafio de aceitar o convite para comandar uma equipe que, assim como o CSA, luta pela permanência na Série A.

"Nos iremos encontrar outro desafio muito grande lá no Ceará, também brigando por uma permanência na Série A, e a gente sai daqui satisfeito com o nosso trabalho porque quando chegou, há seis meses, o CSA era rebaixado virtualmente e conseguimos dar uma volta na situação".

Argel em sua última coletiva pelo CSA apontou os responsáveis pela evolução do time no Brasileiro enquanto o mesmo foi comandado por ele.

"Os jogadores. Eles assimilaram a nossa forma de jogar, o nosso modo de trabalhar e o resultado está dentro do campo. A gente sai, agradece a todo mundo, aos jogadores, ao clube, à cidade de Maceió, o clube sempre vai estar no meu coração".

O comandante técnico em questão também comentou o modelo de contrato que tinha com o CSA. Ele havia renovado por mais um ano em outubro.

"Futebol é assim, é profissional, dinâmico, tem isso, principalmente quando você tem um contrato onde não tem cláusulas que te prendem, nem de um lado e nem do outro, é um acordo. Isso até quando você entender que esse acordo tem que ser cumprido. A gente sempre deixou a diretoria do CSA à vontade, eles também nos deixaram da mesma forma, então é um até logo, faz parte do futebol. Daqui a pouco a gente se encontra. O mais importante foi o tempo, seis meses para um treinador na Série A do Brasileiro é uma eternidade... Mas vida que segue: o mais importante é deixar o agradecimento a todos".