Após um ano muito instável dentro e fora de campo em 2018, o Atlético-MG vive um momento de tensão interna. O atraso dos salários de dezembro reflete apenas uma das várias dificuldades administrativas que o clube enfrenta nos últimos anos. Os jogadores que recebem os salários mais altos, como o goleiro Victor, e o atacante Ricardo Oliveira, ainda não receberam os seus vencimentos do mês passado. O atraso nos pagamentos foi confirmado por um integrante da diretoria do Galo, segundo o ge.com.

Não é a primeira vez que o clube não paga os salários em dia. Em setembro do ano passado, a situação já aconteceu e o problema foi resolvido depois de alguns empréstimos do clube, que demorou 20 dias para normalizar o problema.

Segundo a diretoria alvinegra, o clube ainda não recebeu alguns valores referentes as negociações, ou seja, o dinheiro previsto com vendas de jogadores ainda não entrou, e, somado ao problema financeiro do Atlético na gestão do atual presidente Sérgio Sette, mais transtornos foram gerados.

O objetivo da direção do Galo é enxugar a folha de pagamentos do clube, que já vem de várias temporadas com altos investimentos, tanto em jogadores como na parte interna do clube. Algumas contratações com custo considerado relativamente alto fizeram com que a saúde financeira do clube fosse de mal a pior.

O Galo busca ainda negócios de ocasião no mercado de transferências, porém, o elenco já é considerado fechado pela diretoria e a comissão técnica trabalha para garantir uma vaga na Libertadores da próxima temporada, objetivo é confirmado pelos dirigentes mineiros, que entendem o momento do clube.