O Barcelona ainda não jogou a toalha quanto à questão Lionel Messi. Em um novo capítulo desta "novela" que já dura 7 dias, o presidente do clube catalão Josep Maria Bartomeu deve finalmente conseguir se reunir com o pai e agente do craque argentino nesta quarta-feira, conforme informa o jornal "Mundo Deportivo".

O clube espanhol insistirá na questão de renovação de contrato com seu "camisa 10" até a temporada 2022/2023. Sem pensar em uma saída neste momento do atacante, caso o jogador venha insistir em deixar o clube da Cataluña, esse por sua vez poderá complicar a vida de Messi, exigindo o pagamento da multa rescisória - que fica na casa dos 700 milhões de euros.

Não se vendo mais no Barcelona, o agente do jogador deverá colocar a mesa as opções do atleta e tentar convencer a direção do clube a aceitar um acordo de ruptura de contrato imediata, uma vez que Messi não acredita no projeto de Ronald Koeman - novo técnico do time espanhol.

Jorge Messi nesta reunião quer buscar uma saída amistosa para seu filho, sem a necessidade de ter que buscar a "liberdade" dele nos tribunais. Porém, a situação como todos sabem - pelo menos aqueles que nos acompanham diariamente, que essa "separação" não deverá ser tão amistosa quanto espera o agente do jogador, ainda mais depois do atacante não ter comparecido aos testes para a COVID-19 (domingo) e para os treinos nesta última segunda-feira.

Com contrato válido até julho de 2021, dificilmente Messi e seu pai conseguirão convencer a direção catalã a liberá-lo sem o pagamento da multa neste momento, onde para o jogador restará três opções. A primeira é ficar no clube e jogar mais uma temporada e depois assinar um pré-contrato com qualquer outro time a partir de janeiro do próximo ano; a segunda é ficar no clube e não atuar na temporada e a terceira se o "Barça" não concordar com uma saída amigável, entrar na justiça solicitando sua liberação de contrato. Essa novela promete ser longa!