Depois de ter recusado o convite para comandar o Barcelona logo após a demissão de Ernesto Valverde, Xavi - atual treinador do Al Saad - do Catar em entrevista ao jornal "La Vanguarda" da Espanha, declarou que irá sim assumir o comando técnico do time catalão em breve, mas quando puder iniciar uma temporada inteira.

"Eu tenho claro que quero voltar ao Barça, me traz muito esperança. Anos atrás, poderia me trazer certo respeito, mas agora que já me vi treinando, acho que posso trazer coisas para os jogadores. Mas deixei claro a eles que eu estava em um projeto que começou do zero, e no qual a tomada de decisões foi minha", declarou.

O ex-jogador do time catalão ainda revelou a importância de ter respaldo total da direção. Questionado a respeito da sua relação com Josep Maria Bartomeu - atual presidente do Barcelona, ele negou qualquer problema.

Xavi Hernández - atual treinador do Al Saad.
Xavi Hernández - atual treinador do Al Saad.

"Gostaria de trabalhar junto a pessoas que tenho confiança, com que há lealdade. Não quero ninguém que vá prejudicar o vestiário. Sou muito de grupo, não vou decidir sozinho. Aqui no clube pelo qual venho trabalhando, as decisões são tomadas junto com a diretoria, é uma estrutura horizontal, de consenso. Ainda que a última palavra caiba a mim", destacou o ex-camisa 6 do Barcelona.

Mesmo o Barcelona tendo um elenco considerado forte nos dias de hoje, o espanhol revelou que investiria em contratações de jogadores para atuar pelas pontas e um desses, seria Neymar.

"Grande parte do plantel me parece extraordinário. Começando pelo goleiro, que é um dos melhores do mundo. Jordi Alba, é o melhor lateral. Piqué, o melhor zagueiro central. Busquets, o melhor volante e Messi, bom, sem palavras; o melhor de todos. A eles, se somam Suárez, De Jong e Arthur, que me parecem jogadores para triunfar 10 anos ou mais no clube. A base é muito boa. Eu contrataria pontas, tipo Neymar. Não sei se encaixaria pelo tema social, mas futebolisticamente, não tenho dúvidas que seria uma contratação espetacular. O Barça já tem jogo por dentro, faltam extremos como tem o Bayern (Sancho e Gnabry)", finalizou.