Depois de passar mais tempo no "Departamento Médico" do que em campo pelo Barcelona, a direção do clube catalão faz uma "mea" culpa quanto à frequentes lesões do atacante Ousmane Dembélé.

Já descartado para a Eurocopa, Dembélé desde o último ano, até aqui, em competições disputadas pelo clube espanhol, esteve em campo por apenas 492 minutos, ou seja, cinco jogos e meio.

Mas o jovem atleta francês além das frequentes lesões, possui um histórico nada positivo para um atleta profissional, visto o seu estilo de vida, que de acordo com os críticos não condiz com o que nos referimos aqui mesmo neste parágrafo (jogador profissional); o que acaba comprometendo com sua parte física e contribuindo e muito com suas recorrentes lesões.

Ousmane Dembélé - atacante do Barcelona.
Ousmane Dembélé - atacante do Barcelona.

Assim como começamos essa matéria, referindo-se a "responsabilidade" por parte do Barcelona, o jornal francês "L’Èquipe" revelou que os próprios dirigentes do clube catalão assumiram alguma responsabilidade nas sequentes lesões do atacante - admitindo que o treinamento não prepara devidamente para a pesada sequência de jogos do time em questão.

O Barcelona levou em consideração uma análise da clínica Aspetar - de Doha, que através de dados armazenados em GPS utilizado pelo atleta foram surpreendentes. Segundo a análise, Dembélé realiza 90% de suas corridas de velocidade em jogos, enquanto atinge nem 20% disso em treinos. Essa grande diferença nas atividades pode explicar boa parte das lesões que afetaram o francês.

Claro que Ousmane Dembélé teve grande responsabilidade em suas constantes lesões, mas seu estilo de vida não é suficiente para justificar tantos problemas físicos.