Em entrevista as rádios "Catalunya Rádio e RAC1", Pep Guardiola, treinador do Manchester City e ex-treinador do Barcelona, criticou a violência policial sobre cidadãos e membros da imprensa, sendo ao todo mais de 800 feridos ao longo do dia.

"O mundo inteiro viu o que ocorreu na Cataluña. As imagens são irrefutáveis. A polícia machucou as pessoas que iriam votar. Não iam roubar ninguém, só votar. A comunidade internacional viu as imagens. A mídia espanhola foi à única que não mostrou. Sinto muita tristeza com isso. Falam que atacaram policiais. Com o quê? Com votos? Há uma menina com dedos quebrados", declarou Guardiola.

O treinador do Manchester City disse que a partida disputada no mesmo dia no Camp Nou não deveria ter saído por segurança:

"Esse jogo jamais deveria ter sido disputado. Se você entra em campo, você concorda com essa situação. Se todas as partes decidiram jogar, se por medo de alguma punição ou qualquer outra coisa, teriam de fazer isso com torcida e arcar com todas as consequências da decisão tomada", finalizou ele.

Para evitar perder pontos no Campeonato Espanhol, o Barcelona se viu obrigado a entrar em campo neste último domingo. Com afirmação anterior que não jogaria, a direção do clube catalão se viu obrigado a entrar em campo, sob pena de levar uma punição. Decisão essa que foi bem negativa entre torcedores e jornalistas.