Após o clube anunciar oficialmente a redução de 25% dos salários de jogadores, funcionários e diretoria, o presidente do Atlético-MG, Sérgio Sette Câmara, voltou a causar polêmica ao explicar a situação proposta. Na manhã desta segunda-feira, o mandatário do clube mineiro explanou os detalhes da medida, que tem o objetivo de diminuir os gastos do clube durante o período de paralisação por conta da pandemia do novo Coronavírus.

Além de justificar a medida, alegando que era para a sobrevivência financeira do clube, o presidente atleticano confirmou que ainda irá realizar demissões na instituição:

"Já estávamos fazendo contas e mais contas, reuniões até chegarmos nessa fórmula. Estamos vivendo uma situação realmente muito dramática, eu acho que aqui no Brasil a ficha não caiu para muita gente. (...) Minha obrigação como mandatário do Atlético e gestor responsável que sou é tomar todas as medidas necessárias para a sobrevivência do clube, tendo em mente não prejudicar a grande maioria dos trabalhadores, colaboradores do clube. Essa nossa medida preservou o piso de R$ 5 mil reais e, dentro dessa decisão, alcançamos então 77% dos nossos funcionários sem nenhum tipo de redução. Depois, temos um escalonamento que atinge 4% mais uma faixa, depois mais 4% atinge outra faixa. Mas, enfim, reduzindo o máximo do percentual em 25% que atinge, na verdade, os maiores salários e não todos os salários." explicou Sérgio Sette Câmara em entrevista à Rádio 98FM.

Sérgio Sette Câmara comentou as medidas tomadas pelo clube durante a paralisação das atividades. (Foto:Divulgação)
Sérgio Sette Câmara comentou as medidas tomadas pelo clube durante a paralisação das atividades. (Foto:Divulgação)

O presidente ainda explicou com mais detalhes as modificações que serão feitas:

"Vou te dar um exemplo, a pessoa ganha R$ 6 mil, então o R$ 5 mil não mexe. O R$ 1 mil que ele ganha a mais vai sofrer uma redução de 25%. Se nós não fizéssemos isso, nós iríamos ter sérios problemas dentro de um mês, dois. O que o Galo vai fazer em relação a todos os funcionários? Mês de março, CLT, estamos em dia com o pagamento de salário, mês de março, CLT, vamos pagar normalmente. A imagem, que vence dia 20, nós vamos pagar também integralmente, e as férias, que foram dadas aos jogadores de 20 dias, também serão pagas integralmente. Essas não têm desconto, a partir do dia 21 que essa regra começa a valer." comentou o presidente.

Outro ponto forte e importante da entrevista foi sobre a reação dos jogadores e funcionários após a medida. Sobre isso, Sette Câmara foi enfático e declarou que, quem não estiver satisfeito, pode pedir o desligamento do clube:

"Primeiro lugar eu penso em defender o clube, eu não fico muito preocupado se o atleta chiou ou não chiou, se o funcionário chiou ou não chiou, se alguém tiver insatisfeito pode comunicar que a gente faz o desligamento não tem problema nenhum. O que eu tenho que defender em primeiro plano é o Clube Atlético Mineiro." afirmou Sérgio Sette Câmara.