De algo aparentemente bem encaminhado, a "frustração"? Essa é a "novela" envolvendo Douglas Costa, Grêmio e Juventus, que nos últimos dias ganhou ar de dramaticidade.

Após reuniões entre dirigentes do clube italiano, representante gremista e representante do jogador, a Juventus comunicou que só aceitará liberar o meia-atacante caso o jogador aceite abrir mão da dívida que o clube tem com ele.

Com uma dívida de aproximadamente seis milhões de euros, o empresário de Douglas Costa não aceitou a proposta dos dirigentes da "Velha Senhora", trancando com isso a possível chegada do jogador ao Grêmio, que dava até então a negociação como certa.

Embora o impasse nas negociações, a direção do clube brasileiro segue demonstrando otimismo e segundo o representante gremista na Itália, a Juventus teria feito uma contraproposta, onde cederia o jogador por empréstimo sem custos ao clube brasileiro até o final da temporada 2021.

Contrato válido até junho de 2022

Com contrato junto a "Velha Senhora" até junho de 2022, Douglas Costa caso fosse cedido por empréstimo até dezembro deste ano, poderia assinar a partir de janeiro de 2022 um pré-contrato com o Grêmio ao final de seu vínculo.

Em entrevista recente, o vice de futebol do Grêmio - Marcos Hermann declarou que as negociações estariam bem encaminhadas.

"As coisas estão bem encaminhadas, fomos autorizados pela Juventus para acertar com o jogador e estamos esperando a liberação, que deve chegar na terça ou quarta-feira, o que dá tempo suficiente de fazer a inscrição antes do fechamento da janela. Estamos otimistas em relação a esse tema, mas enfim, continua nas mãos da Juventus e não nas mãos do Grêmio a solução do problema", destacou o dirigente.